quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

JUDEUS E PALESTINOS = DEUS É MEU E NINGUÉM TASCA!


Carl Marx estava certo: “A região é o ópio do povo”. Em nome do reconhecimento de ser “o povo eleito” nações se digladiam desde as primeiras civilizações do planeta.
Pode-se até compreender nos séculos passados haver esse comportamento religioso e político, eis que os povos eram na sua grande maioria, analfabetos de pai e mãe. Na atualidade isso se constitui numa aberração psíquica e falta de racionalidade.

O povo judeu ficou sem pátria por décadas de séculos e em 1948, a ONU, ainda sob a forte emoção do holocausto de milhões de judeus na Segunda Guerra Mundial, estabeleceu os limites da pátria judia: Israel. Os judeus começaram a ocupar a Palestina desde o começo do século XX, pacificamente, adquirindo terras e propriedades urbanas. Foi uma estratégia para o início de um plano de arrebatar toda região, tal como ocorreu com a própria fundação do Estado de Israel em 1948 e posteriormente na Guerra dos 6 dias em que Israel ocupou militarmente a Faixa de Gaza além das Colinas de Golã, a Cisjordânia e a Península do Sinai. O controle de Jerusalém foi de considerável importância para o povo judeu por causa do valor “histórico e religioso”, já que a cidade era judaica há 3000 anos até ser tomada pelo império Turco-Otomano. Agora éla é divida entre cristãos, muçulmanos e judeus. Não pode dar certo mesmo!

Apesar da aprovação na ONU da Resolução 242, no final do conflito bélico, ainda em 1967, que ordena a retirada de Israel dos territórios ocupados, Israel não cumpriu a resolução para se retirar dos territórios ocupados. Assim a briga continua.

Fico a imaginar: na ocasião da criação do Estado de Israel, porque não pleitearam uma vasta área, na América, no Centro Oeste brasileiro, ainda praticamente inabitado ou mesmo na África. Não afetaria ninguém... Ah... mas há a questão religiosa... Aquele deserto feio de pedras e areia é “sagrado”, tanto para os judeus como para os árabes.
A imbecilidade humana, não obstante os fantásticos avanços científicos, ainda é maior que pode supor nossa vã filosofia.

Povo eleito, terra sagrada e outras besteiras, como se Deus fosse o maior canalha do mundo a ponto de segregar e discriminar sua própria criação. Haja saco !!! Melhor seria se um matasse outro e outro matasse um, assim iriam todos discutir o “sagrado e o eleito” junto com o Tigrão lá em cima e deixassem nós aqui em paz, como também as crianças daquela área de conflito.
Vale lembrar – Atrás da Palestina está a comunidade muçulmana e atrás de Israel o capitalismo chefiado pelo satanás EUA.

Toda guerra não é nada mais que assassinatos legalizados!

8 comentários:

Vanda disse...

Oi Sábio
Boa tarde
Passando por aqui pra não perder o hábito rsss e ñ poderia deixar de te dar os parabens.... adorei essa sua postagem..... estou com dificuldade pra falar sobre o assunto........só queo registrar o meu sentimento por aqueles que inocentemente pagam pelos crimes de outros e o barbarismo que uma guerra causa...
Abraços

rebloggando-requeri disse...

oi, já subi mais um ponto no ranking do dihitt. vc precisa aumentar sua frequência, ler mais, fazer comentários, ninguém dorme naquele site ... rsrs ... aposto que vc vai gostar ... a interatividade é única, não existe lugar como aquele. vou pra lá agora - eu estava sem conexão - deve estar bombando por lá. dá uma chegada. o pablo está fazendo o layout novo, aliás já está funcionando mas faltam alguns acertos. neste processo nós participamos ativamente. a gente só evita encher excessivamente o saco dele dizendo, num dia só e todos ao mesmo tempo, o que tá funcionando errado, pq senão ele passa anoite acordado enchendo a cara de red bull. seja mais assíduo pra ver. rê.

Anônimo disse...

Eiiiii
as rosas estão voltando
eee o no sol se esconde
eee como é bonita a vida
eee para onde estamos indo
estamos parados
Solange

Anônimo disse...

****CONTENTINHO****
Alegoria

Vanda disse...

sábio vc leu " o porque da guerra?
... é possível contar uma grande mentira ao reunir pequenos fragmentos da verdade...
Abraços

Ev@ disse...

Na falta de outra maneira de falar com vc ... vai por aqui mesmo .....
Archimedes Carpentieri
São Paulo
Brasil
aguardando aprovação de Archimedes

o q é isto no ORKUT... não aprovou, fez bem ... assim como faz em não colocar meu Blog ai no seu.... não quero sua aprovação, o convite p/o ORKUT foi feito por exclusiva iniciativa do programa.
Só agora vi isso, só agora fui ver quem está na minha lista... e vi essa negativa sua... eu vou retirar convite agora ....
Vc é um cara, q não tem consideração com uma pessoa q te acompanha há anos... e até agora continua fazendo isso ...
Seguidores .... veja
Olhe no meu blog.... o seu está lá.
Não importa o q vc faça, eu faço o q sempre fiz em CONSIDERAÇÂO do tempo em q eu tinha 24 agora quase 25.... para vc q é um tolo é 50,70,80... e o q me importa quantos anos vc acha q eu tenha.O q vc pensa ou acha não me interessa, pense o q quiser.
Eu penso... e sei o q vc é.....
Mas não esqueço o tempo q tivemos consideração um pelo outro ...
Não me importa q ponha esse COMENTÁRIO aki... é um lugar q não tenho vindo ... e pretendo ficar longe ... para vc fiz o q achei q devia ... passe bem ....

rebloggando-requeri disse...

a religião é o ópio do povo ... alguém comeu o li da sua palavra.

uma palavrinha:
quando surge a pergunta: por quê??? as respostas não me satisfazem, assim como não devem satisfazer à maioria das pessoas que assistem àquela aberração. no entanto uma coisa deve ter clareza e ser determinada como a maior certeza: em nenhum momento o processo deve ser levado rumo ao rancor por um povo e à defesa do outro. não é uma guerra religiosa, é uma guerra política. eleger o "povo judeu" como algoz do "povo palestino" não é o caminho, pois, essa não é a expressão verdade.

comparemo-nos a eles, habitantes de uma nação comandada por políticos que vendem a mãe para obter poder.
os povos desejam estabelecer-se em seu canto - vide o sionismo - definir o seu lugar mas, os poderosos que determinam como fazer isto têm interesses escusos.
o que existe é uma guerra filha da puta entre israelenses - não necessariamente judeus - cuja politica desaprovo in totum, e os palestinos, que têm direito ao seu território, soberania, leis próprias.
por outro lado, não são todos os judeus que aprovam a carnificina que ocorre na faixa de gaza. não são todos os judeus que apoiam as decisões do governo de israel. o exército de israel não é formado unica e exclusivamente por judeus, eis que alí também há soldados curdos, advindos da antiga união soviética e da etiópia, que não exercem a fé judaica.

não imagino harmonia cultural, religiosa por lá - nem seria este o caso - assim como não imagino o povo brasileiro não passando fome, sem escola, pois, essas coisas dependem de governos conscientes que não sejam, apenas, centrados no poder.

a estas palavras eu acrescento, ser judeu é completamente diferente de ser o estado de israel, assim como ser palestino, muçulmano é diferente de ser a nação palestina.

é isto.

Vampira Dea disse...

Oi, penso que a guerra é uma forma permitida de controlar a população humana usada pelos poderosos,pois eles manipulam todo o tempo conforme o bel prazer,os donos do mundo desde sempre querem dizimar do planeta tudo que eles não classifica como ser humano(se diz "homem-branco-rico-hetero-católico") e concordo com vc em relação as religiões, não existe quem seja mais cego do que aqueles que seguem suas religiões.Não sou atéia, creio em Deus, mas não nesse Deus vingativo que tem como simbolo a sombra da morte,nem acredito em nehuma religião que patriarcalmente tem humilhado mulheres ao longo dos séculos e impedido o progresso quando escondiam seus livros, quando queimaram as bruxas, quando negaram que a terra é redonda ou quando hoje condenam o uso da camisinha e dos embriões.Ufa! E se ainda as guerras fossem como antes vá lá.Todo mundo guerreava, o rei também morria na guerra. Agora não só quem morre é pião.
Um abraço.