domingo, 30 de setembro de 2007

PROCURA-SE UM PENIS



Uma mulher, Erlin Mafefa, de 22 anos decepou o pênis do namorado na Indonésia e fugiu com o órgão troféu, impedindo assim um possível reimplante.
Markus Hunbani, de 23 anos, morador do povoado de Fatumonas, na ilha do Timor Oeste, o castrado, está internado num hospital desde o dia 9 p.p., após a perda da cabeça acefálica. Ele diz que ainda não entendeu os motivos do ataque de sua namorada e mantinha a esperança de que Erlin chegasse com seu pênis para que os médicos pudessem tentar o reimplante, mas ela não apareceu. A polícia confirmou a detenção de Erlin, mas por enquanto não encontrou o pênis amputado.
Desgraça? Nem tanto, poderou o Sábio, o tal Markus nunca vai pegar AIDS, nem ao menos uma gonorréiazinha de saudosa lembrança, não vai ter sogra, não vai ter que sustentar família, filhos, cunhados e aderentes. Inquirido ainda pelos discípulos, sobre como ele agora iria ter prazeres orgásticos, respondeu:
- Com a segunda sílaba do seu nome. É a lei da compensação !
SE A MODA PEGA....

9 comentários:

Anônimo disse...

Ah Sábio, com tanta falta do produto, a mulher ainda joga fora ..que disperdicio!!! se ainda cortasse e levasse com ela ... até dava p/entender...pra ser usado naquela q não tem e gosta ...
Clara

Requerí disse...

estava eu, justamente, assistindo a um filme de época, aliás, põe época nisso, já que a éstória parece ser ambientada em período quase paleolítico, devido à antigüidade do tema, que conta as desventuras de uma mulher apaixonada e retribuída em seu amor por um homem maravilhoso. conta que os dois são vítimas de uma armadilha ardilosa montada pela irmã do rapaz, que quer, porque quer, que ele se case com a melhor amiga dela.
a amante desventurada sofre com o que acontece sob seu lindo nariz, e tenta entender o motivo de tamanha obstinação fraternal.
por coincidência, a saída que ela encontra para evitar um final feliz entre seu amado e a futura pretensa rival é, justamente, cortar-lhe o troféu fálico exibido com tanto orgulho.
além disso, ela acha que a irmã do gazelo é quem quer manter um "chega mais" com a amiga e acredita que, aproximando os dois, poderá estar sempre perto da amada.
no caso dele, que seria o maior prejudicado, sem seu objeto de prazer, não seria possível usar da analogia com alguma sílaba do seu nome, pois, nele não existe a vogal "u". de qualquer forma, e isto vale para o personagem do post, uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. minha experiência conta que da frente, não pode nada sem o de trás e vice-versa ...
ele, portanto, seria um sem pênis, sem mulher, sem prazer, sem amiga da irmã sem nada e sem irmã, pois, essa estaria entretida com a amiga e nem daria trela pro mano despenado ...

portanto, a atitude aparentemente cruel e perversa da autora do corte muscular irreversível, tem meu aplauso.
por outro lado, o infortúnio da prisão da moça será perfeitamente contornável já que não foi encontrado o pênis do rapaz. sem corpo cavernoso, não há crime ...

sabe que não é má idéia???

vou terminar de ver o filme ... bye

Anônimo disse...

Nossa...q história medonha...a solução para o pobre castrado, seria, fazer a cirurgia de mudança
de sexo....já q tudo está perdido mesmo, é melhor uma xoxota fabricada q um rabicó,q cedo ou tarde vai dar problemas...afinal as coisas foram criadas para serem usadas corretamente,não importa o tempo de uso,sabendo usar nuca estraga...vcs entenderam né???? se voce usa a coisa errada, ela acaba se desgastando... acho q é isso...
beijos BB

Anônimo disse...

Puxa Sábio !! esta foi barra pesada ... arrasar com a energia vital, onde Freud se apoiou para revolucionar o mundo com a sua psicanálise ...sendo em função dela que as pessoas exercem suas atividades...imagina ficar sem o falus !! a "espada do poder" tão bem representada na sua ilustração ...
O grande e eterno medo dos homens !!!
Pobre Markus !! tenha certeza que não tem "kus" que compense...
Esta história me remete, tambem, a um filme, onde na busca do prazer total, absoluto ... encontra-se a morte ...(Império dos Sentidos)... e no final a cena da mulher correndo pelas ruas com o penis do amado na mão...
Beijo de boa semana para vc.
Bela

Anônimo disse...

Assunto eletrizante ...
Até rendeu uma postagem da "Requeri"...
Bombou !!!!!
Clara

Requerí disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Requerí disse...

o comentário que virou postagem ... tem explicação, boa explicação, fique bem claro. veio a calhar o assunto fálico.
se não houvesse uma razão coindidente para a minha colaboração, minha manifestação seria simples e natural: sou uma enaltecedora natural e empoldadíssima desse objeto de desejos, sem similar na história da humanidade ... quer dizer, eu teria manifestado contrária à prática da cruel amputação.
no entanto, neste momento, quero justiça, influenciada pela história postada no blog e pela mini saga familiar do filme que narrei. solidarizo-me com a valente moça fatumonense e com a infeliz protagonista.
um canivete suiço, bem afiado, tem razões, que a própria razão desconhece ... rsrs ...

soa disse...

otimos os comentarios !!!
continuem

A Invisível disse...

Adorei a matéria, a sacanagem que lhe é peculiar e os comentários. Não fosse uma "dose" exageradamente infeliz: "...nunca vai pegar AIDS,..."
Que foi isso, humor negro ou deturpação de valores? Burrice eu não creio. Perdeu a mão...