segunda-feira, 7 de abril de 2008

CASO ISABELLA E "O VELHO E O MAR"

O caso Isabella chocou toda a nação. No descortinar do século 21, justamente quando assistimos grandes avanços na preservação da natureza, dos animais, dos direitos humanos, dos direitos das minorias, dos códigos de defesa da infância e juventude, da mulher é difícil entender que um ser humano possa cometer tamanha atrocidade contra uma inocente e frágil menina.
Só posso entender que esse ato e outros tantos similares que são cometidos no mundo relacionando-os com a mensagem que Hemingway tentou nos passar em sua obra “O VELHO E O MAR”. Posso estar navegando na maionese, pois tentei pesquisar em algumas resenhas do livro em sites especializados, tal como o da Folha http://biblioteca.folha.com.br/1/11/ e não enfocam o que considero o principal ponto da mensagem do livro (que também se transformou em filme).
'
Se você tiver paciência, leia e veja se eu deliro ou se é verdade:
A história é de velho pescador cubano, pobre, só, tendo como amigo só um menino Num determinado dia pescou um enorme peixe, maior que seu barco. Após três dias de luta contra as águas e tubarões, conseguiu a duras penas trazer somente a carcaça para a praia, visto que os tubarões haviam devorado o enorme peixe. Exaurido o velho deixa o barco ancorado com o que restou do peixe, ainda atado ao lado da embarcação tosca e vai dormir... O menino vê e admira a aventura do velho. Sente-se orgulhoso pelo feito do seu amigo ancião. Chega até ao rancho onde ele dorme e cobre-o com uma manta.
'
Agora o mais importante: (que a crítica não percebeu):
'
Um casal de turistas americanos fica admirado com o cenário do barco com aquele enorme merlin atado e há um diálogo entre ambos que fica claro que eles não entenderam o que aconteceu. Ao meu entender o autor mandou a seguinte mensagem: O capitalismo provoca danos que seus agentes não têm consciência dos seus efeitos. Em outras palavras: o velho representa a classe pobre que quando consegue algo valioso, os “tubarões” acabam por devorar. O casal de turista está a representar essa inconsciência. Eles representam os capitalistas, os burgueses e não entendem o que aconteceu. O menino, pelo qual o velho nutria honesta amizade e que durante toda sua luta contra os tubarões em alto mar, só nele pensava, está a representar a esperança de um futuro melhor. Como se dissesse: “Menino, eu quase consegui e você poderá no futuro ter mais sucesso. Você é esperança”
'
Bem e o que tem isso a ver com o caso de Isabella?
'
Numa sociedade capitalista, consumista os valores materiais sobrepõem-se, mesmo que inconscientemente, aos valores da sabedoria, do amor, enfim, éticos.
Assim quando assistimos a crimes bárbaros como o de Isabella, meninos que matam seus colegas e professores nas escolas, crianças de 5 a 6 anos de idade que planejavam assassinar uma professora nos EUA, na semana passada entre tantos outros hediondos, ficamos tal como aquele casal de turista da obra de Ernest Hemingway, espantados, sem respostas e o que é mais terrível: sem ter consciência de que também somos culpados, pois também fazemos parte da engrenagem do SISTEMA. Este nos auto-pressiona, tornando-nos uma bomba com estopim curto.

25 comentários:

Anônimo disse...

Ola Sábio bom dia........
Gostei muito da sua comporação do "Homem e o Mar" com situações deprimentes que vêem assolando o mundo....Em nosso país a tragédia do menino que ficou preso pelo cinto de segurança num roubo de carro,crianças que morrem por balas perdidas,crianças que são torturadas como na época da escravidão, pais matando filhos e filhos matando pais
Esse tipo de situação não ocorre em Comandatuba, na Bahia, onde estão os "280 homens mais importantes do País". Não afeta banqueiros, ou grandes empresários e as companhias de telefonia e energia continuam privatizadas com dinheiro público. Isso e muito mais.
A rigor, não importa onde a violência ocorra, importa diagnosticá-la como instrumento de dominação do capitalismo. Como conseqüência das condições brutais a que os nós humanos, em todos os cantos, se acham submetidos.
Abraços

Anônimo disse...

esqueci.........sou a Vanda rsss

Anônimo disse...

esqueci.........sou a Vanda rsss

requeri disse...

banalização do mal.
é isso o que é.
vc viu o filme pequenos assassinatos??? baseado em um fato verídico. boa idéia, falei dele outro dia e vou escrever sobre ele no reblogg. por enquanto fica um resumo: por uma bobagem qualquer, garotos com idade por volta de 11 anos, munidos de armas poderosas, entraram em sua escola e mataram mais de vinte pessoas. uma besteira, um efeito que transcende e a defesa através de armas com valor muito superior ao motivo que os levou a praticar aquilo.
suponho, pois ainda não conhecemos a verdade: um pai nervoso excede os limites, descontrola-se e motivado por uma merda qualquer, extrapola na reação.
um pequeno assassinato.
um crime horripilante praticado por um homem, um adulto, sobre uma garotinha e motivado, certamente, por uma banalidade fútil e corriqueira.
digamos que o assassino seja outra pessoa ...

uau!!! então tá ... segue o comboio ...

vai lá no quintal, que eu pendurei umas roupas. vai ver se vc concorda com o que eu fiz. beijo.

Archimedes Carpentieri disse...

Vanda
Legal teu comentário. Só falta vc votar no Lula rss
Brincadeira à parte bom mesmo.

Archimedes Carpentieri disse...

Requeri

Banalizar o mal é consequência de algo. Qual a causa que é o que nos intriga.
Banalização é o grande peixe devorado. A causa é sempre invisível (pelo menos para a maioria). Se é invisível é quase impossível combate-la. É uma doença sem diagnóstico.

requeri disse...

por isso é que amedronta ... a insensibilidade, a indiferença ...
banalizar é transformar valores caros em algo comum e sem importância. banalizar é vulgarizar. banalizar destrói o poder de uma idéia, de um fato, de um hábito, de sentimentos ...
a banalização da literatura, valoriza as drogas dos livros de auto-ajuda em detrimento da divina comédia, da ilíada ...
a banalização dos relacionamentos afetivos traduz o que poetou vinícius - que não seja imortal posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure - como ... seja lá o que d'us quiser, tô nem aí ...
a violência perdeu a dimensão, ela é exposta na tv e no cinema, na net e, até, em brinquedos, em jogos eletrônicos ...
furacões, tsunamis, poluição, atos terroristas, novas ditaduras, desmatamentos ... parecem as coisas mais normais ... ainda bem que eles não chegaram aqui ... êta frase banal!!!
temos que ficar atentos a isto. não permitir que se alastre ainda mais.
a ignorância e a ingenuidade produzem descomprometimento e banalizam a vida.
horrível permitir que menosprezem ou substimem nossa inteligência.

ainda não cheguei no ponto g da questão ... rs ... diante de um assunto feito esse, nem no meu ... rsrs ...

banalizar a violência, por exemplo, não é prerrogativa do nosso tempo. estou certa??? caso esteja, penso: sua causa, portanto, está no psiquismo humano. ela está sendo evidenciada, a priori, por conta de um grande número de mesquinharias, mentiras, bandalheiras ...

... e chega! tenho que pensar!

requeri disse...

responde!!!

requeri disse...

ando assustada e isto me provoca. quando me sinto assim é encrenca, na certa. tenho vontade de ser mais do que sou de barulhenta ... essa coisa de criança de 5 anos ser arremessada da janela da casa da madastra remonta a estória de bruxa e isso não é bom. viver estória da carochinha assim, ao vivo é, no mínimo, perverso.

preciso fazer alguma coisa para colaborar com a seriedade, com a responsabilidade, com o caráter bom, com os valores certos em seus lugares, também certos.
estou ensaiando um reblogg. deixa esfriar aquele sobre o charlton heston que eu vou declamar sobre o assunto, banalização ....

requeri disse...

... é como aquela teoria sobre todo cinema ser bom: depende de quem assiste. plagiando minha vó, em verdade lhe digo, uns gostam do zóio, outros da remela ... rs ...

como eu dizia é o seguinte: livros e filmes não me ensinam, eles apenas ilustram o que eu aprendi com a vida. sabe pq??? é preciso viver pra entender o que outros já viveram e entenderam. portanto o livro ou filme, vão ser entendidos, por quem tenha aprendido com a vida, antes de qualquer outra forma de aprendizado. interpretações são subjetivas. a vida de cada um é subjetiva. a interpretação do velho e o mar pode ser executada de maneiras diversas, por todos e por cada um.
nenhum livro ou filme, aos olhos de quem os lê/assiste, é imutável.

já sei!!! vem chumbo!!! e ó que eu nem disse tudo!!! hj tô meio lerda.
manda que eu detono, tô preparada ... rs ... lá no campinho tem mais espaço pra eu desviar. bj.

requeri disse...

outro filme emblemático sobre o mesmo tema é o dia de fúria.
caráca!!!
preciso manter o controle. muitas vêzes já me pilhei num pensamento tosco, em meio ao trânsito da marginal e bandeirantes, numa quinta-feira, rumo ao consultório:

largar o carro alí mesmo, atravessado no meio da rua, impedindo a passagem dos caminhões, ligado, fazer a cara do incrível hulk entre a troca de uma cor pra outra, catar um guarda-chuva daqueles enormes que vendem nos faróis e partir a pé, guardachuvando quem pintar pela frente ... uma versão thriller do mary poppins ...

não, isto não pode!!!
sai desse corpinho pensamento hediondo!!!

Anônimo disse...

Estou em dúvida, se é para comentar a postagem, ou comentar o comentário.

Anônimo disse...

Oi Archimedes,eu sou Ivone, de Manaus,estou de férias em Sampa,na casa da minha tia sua amiga Maria Amélia,falar no caso Isabella,que coisa triste para uma mulher mãe como podemos imaginar que alguem possa fazer tanta maldade a uma criança,pura que só transmiti alegria,esperança e confiança em mundo melhor,exite coisa mais belo do que um sorisso de uma criança,também somos culpados,quem
sabe,falta de amor ao proximo,amor
a nós mesmos,falta de Deus,em nossas vidas e de nossos filhos,em
acredito que o caso Isabella será
solucionado,encontrando os verdadeiros culpados.
A minha tia mandou escrever que ela
esta de mal com o seu blog.você sabe porque.um abraço.

Archimedes Carpentieri disse...

Pois é Ivone de Carlo (vixxi essa é antiga...)

Então tu é manauara?

O caso solucionado não solucionará o processo. Quem virá depois de Isabella?

As grandes capitais estão se transformando em grandes hospícios.
Então: o homem chega a um ponto de evolução que para viver precisa de, diariamente, se transmutar em 3 bichos: Macaco, quando sobe nos prédios para trabalhar ou dormir; Tarzan, quando se locomove nos ônibus ou trens, dependurados e tatu quando desce nos buracos para tomar o metrô. Isso, dizem, é a modernidade.

Diz pra tua titia que eu não sei a causa dela estar de mal com o blog.
Será blogrrenite aguda?

bjos

Archimedes Carpentieri disse...

ANôNIMO EM DÚVIDA

Aqui comenta-se o artigo, os comentários, a vizinha e principalmente falecidos, pois estes não reagem.

Archimedes Carpentieri disse...

RE

Pediu então lá vai:

Eu banalizo
tu banalizas
ele banana lisa

Seguinte: Há 2 formas de interpretar uma mensagem em um filme ou livro. A primeira é justamente o que o autor quis passar e a segunda pode haver variações que por sua vez pode ter uma abrangência maior ou menor e ainda pode ser totalmente incorreta.
No Caso do romance O VELHO E O MAR a mensagem é explicita.

requeri disse...

ac, claro, sem dúvida. o velho e o mar é uma história simples, de idéias simples que descreve a sabedoria de um homem simples, que respeita qualquer criatura vivente que, tanto faz, seja uma gaivota, um peixe, um garoto ou amigos da onça. é um homem de fibra, de têmpera resistente, cheio de auto-confiança e auto-estima, condições primordiais para ser respeitado, estimado e merecedor da confiança de seus pares. a melhor representação da felicidade. não há o que, nem quem derrube uma pessoa feliz.
hemingway, é sabido, não tem papas na língua, não usa de subterfúgios, não complica. ele conta histórias simples, de fácil entendimento que descrevem a vida.
faço uso dessa e de outras narrativas como uma ilustração para as situações, várias, vividas na minha vida. nada de catar nos livros uma msg, sem eira nem beira, por catar ... isto me cheira a auto-ajuda ... urgh!!!
penso muito nesse livro, nesse santiago, naquele garoto, naquele peixe, naquele tubarão, naqueles amigos descrentes, pentelhos e invejosos, do tipo, eu não tenho ele tb não pode ter, sempre que surge, na minha vida, situações que remontem às que o livro descreve.

deu pra entender???
então, é isso.

Anônimo disse...

Professor "desconfiamos" quem tenha matado a menina.......... mas será que convém pra OAB e outras orgnizações declarar de imediato os autores desse nojento e "nescrupuloso" ato?????????
Não se esqueça que estamos no Brasil....onde tudo se dá um jeitinho e a punidade só existe para os pobres.
Daqui uns dias se inventa mais uma CPI pra calar o assassinato da pequena Isabella e tudo acaba em pizza...e o pior quem escolhe os sabor somos nós ...
Abraços
Vanda

requeri disse...

ah!!! vc interpreta o velho cubano diferente de outras pessoas, que interpretam diferente de mim, que interpreto diferente do cara da esquina, que interpreta diferente do pároco da igreja, que interpreta diferente do fidel ... rs ... e por aí vai.
vc recolheu e agregou o significado da história à sua sabedoria, a partir de fatos que sua vida de archimedes conheceu e que foram ilustrados por ela ou por algum trecho dela.

requeri disse...

hemingway era avesso a chorumelas ... there isn’t any symbolism. the sea is the sea. the old man is an old man. the boy is a boy and the fish is a fish. the shark are all sharks no better and no worse. all the symbolism that people say is shit. what goes beyond is what you see beyond when you know.

no entanto, não existe sobre a face da terra, uma obra literária sequer, que seja impossível de ser interpretada, mesmo contra a vontade do autor. nenhum autor conseguiu a proeza de escrever um livro que só contivesse a interpretação dele próprio.

portanto, um livro é suceptível de um punhado (punhado é bom ... rsrs ...) de interpretações, todas subjetivas e únicas.

quanto ao caso da menina que caiu da janela da casa da madastra, no meu entender, é outra história ...

pronto, cabô!!!
tá pensando o quê?!?!?!?
beijo.

requeri disse...

quer saber mais??? caso fosse diferente não haveria caixinha de comentários nos blogs.
o bom da vida é ... ser feliz, polemizar, causar frison, escandalizar, retrucar, resmungar, interpelar, questionar, discordar, argumentar, concordar, não concordar, xeretar, ...

Archimedes Carpentieri disse...

REqueri

Só um pormenor=
Quando um autor escreve algo, mesmo que a mensagem seja abstrata, não quer dizer que alguns leitores não a interpretam exatamente como o autor direcionou.

E no caso da obra O Velho e o Mar a mensagem é clara.

requeri disse...

lá no cover, eu coloquei um outro cabeçalho. vai ver se vc gosta.

Anônimo disse...

Querido Sábio

O velho pescador, Santiago, classicamente traduz o homem em busca sua afirmação ..a luta com o peixe é uma luta consigo mesmo para manter o sonho ... realizar suas conquistas ... durante todo o tempo , o velho , não se deixa abater e com persistência ele consegue superar as adversidades dia após dia....e esta é uma característica do povo sofrido ... como vc bem analisou em uma visão sócio – política....
Na realidade li “ O Velho e o Mar” na época de escola ....xiiiiii ..... a páginas já amarelaram....kkkk, mas foi um livro que marcou ....
Lendo seu comentário , tenho vontade de reler ...
Muito boa sua análise ... o garoto que o velho não esquece nem um minuto ... que representa a esperança que a raça humana tem no futuro melhor ... principalmente se lembrarmos que Hemingway escreveu o livro em Cuba , num isolamento , num tempo de Depressão econômica dos EEUU...
Sim, como o casal de turistas, a sociedade distante, não consegue entender o “esqueleto de um peixe amarrado em um barco” .... e nem se demora muito em observar... tirar conclusões ... como vc bem escreveu é a “ engrenagem do Sistema”.
O caso da menina Isabela .... vai contra tudo isto que a história do velho pescador nos conta ... é cruel ... é violento ... e triste, muito triste ...e a sociedade frequentemente se depara com estes “ esqueletos” que não consegue entender .... e de um modo alienado , prefere continuar “caminhando adiante na praia da ilha”.

Beijo cheio de saudade.
Bela

Ev@ disse...

Finalmente consegui chegar aqui, depois de muitas tentativas ..Viva consegui..
Não vou comentar seu artigo, as minhas palavras continuam fugitivas . De acordo com todos os comentários, a mim só resta dizer: Obrigada, gente, li, me fez refletir até onde vamos chegar ... Ou vamos gritar como tanta gente, se juntando e gritando "CHEGA|".
Sábio, eu sempre misturando tudo .
Depois de tudo que li... não sei como dizer, que a casa de roupa nova, elegante, belo, um cabeçalho maravilha .
Meu pc anda doido que nem a dona.. outra tentativa q fiz p/ entrar aqui, e falar do quanto gostei do seu pedaço... Estranhei tanto lugar vazio .. agora quase 4h tá quase tudo preenchido...
O importante é que cheguei, encontrei uma "casa" bonita, parabéns.... Meus comentários não mudaram ... continuam pobres como antes .
Ev@