domingo, 11 de maio de 2008

DOSSIÊ DA DURONA DILMA DÁ DIVERTIDO DRAMA

Senador Zé da Gripe - perdeu a pose

A oposição sem chumbo no trabuco, usa sal para atirar em tudo que se mexe ou respira nas bandas do Palácio. A munição do momento é o tal dossiê sobre gastos do ex-presidente FHC que vazou dos arquivos da Casa Civil. A oposição tentou "queimar" a ministra Dilma, convocando-a para se explicar no Senado. Não conseguindo, convocaram-na sob o pretexto de explicar as ações do PAC - Programa de Aceleração do Crescimento implantado pelo governo Lula. A dita oposição - DEM (PFL) e PSDB na cabeça - deu-se mal. A ministra deu um show de competência e de sobremesa fez o líder do DEM, o senador José Agripino, engolir um sapo do tamanho do estado do RN, onde ele foi eleito.
Querendo, logo no início, deixar a ministra de saia justa, José da Gripe, citou um trecho de uma entrevista onde Dilma declarou que mentiu quando interrogada pela ditadura militar, nos três anos em que esteve presa, inclusive torturada. Ora, caro senador, o ato de mentir neste caso é heroísmo. É defender os ideais, defender companheiros. É principalmente não se acovardar ante a tortura e pressões. Dilma respondeu neste tom e o senador do Rio Grande do Norte, perdeu sua postura de intelectual coronelista esnobe e passou a ser a chacota da semana.
Agora pergunto: Que mal há em se fornecer dados (dossiê) de um governante, que já não está mais no poder? Os mesmos que ora alardeiam isso como crime fazem discursos longos sobre as qualidades da transparência.


O Governo dos EUA encomendou um dossiê sobre a ministra Dilma em junho de 2005 com os subtítulos:
1) ‘Joana d'Arc dos subversivos torna-se chefe da Casa Civil’; 2) ‘Entrou para grupos clandestinos, organizou três assaltos’; 3) ‘Planejou assalto lendário –o roubo do cofre de Adhemar’; 4) “Enfrentou 22 dias de uma brutal tortura de eletro choque’; 5) ‘1º marido seqüestrou avião para Cuba e permaneceu lá’; 6) ‘No Congresso, reclamam que ela não entende de política’; 7) ‘Ela tem uma reputação de negociadora dura, persistente’

Em um belo artigo, o colunista da Folha, Josias de Souza, conta sobre esse dossiê; é só abrir neste endereço = http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2008-05-11_2008-05-17.html

Já o dossiê do sábio do cerrado acha-se guardado no pétreo palácio de cristal em arquivo da 5ª. Dimensão do universo paralelo, nos mundos interiores da Serra do Roncador. Nem adianta tentar...

26 comentários:

Vanda disse...

Boa noite mestre das trevas rsss
concordo com depoimento qto ao dossiê do sábio do cerrado que acha-se guardado no pétreo palácio de cristal em arquivo da 5ª. Dimensão do universo paralelo, nos mundos interiores da Serra do Roncador. Já pensou se alguém tenta?????? xiiiiiiiii Se fosse o senhor não me ateveria a colocar em dúvida a coragem das pessoas heim kkkkk tem gente que mente e faz heim.
Abraços
Vanda

Ev@ disse...

parte - 1 texto do blog de Millor Fernades ...http://www2.uol.com.br/millor/retratos/fernanda.htm

Fernanda Montenegro



Fernanda é tudo que sobrou do que sempre me ensinaram. A sombra dos quarenta graus à sombra. Procurem os gestos no vocabulário, olhem Fernanda: estão todos lá. Sua vida é um palco iluminado. À direita as gambiarras do perfeccionismo. À esquerda os praticáveis do impossível. Em cima o urdimento geral de uma tentativa de enredo a ser refeita todas as noites, toda a vida. Atrás os bastidores, o mistério essencial. Embaixo, o porão, que torna viáveis os mágicos e onde, faz tanto tempo!, se ocultava o ponto. Em frente o diálogo, que é uma fé, e comove montanhas.

Gênio da espécie teatronicus fanaticus, é tal o talento de Fernanda que nunca consegui saber se é bonita. É. Mas pode ser que esteja só representando. Pois se a pusessem no Santos, no lugar de Pelé, tenho certeza de que o interpretaria com tal perfeição que marcaria um gol de lençol. (A Seleção não sabe o que está perdendo). Da ambiguidade da arte que pratica fico pensando se é mais difícil ser sincera na vida depois de todas as mentiras no palco ou ser autêntica no palco depois de todas as perfídias da existência.

Chamam-na de atriz de fôlego; é de reparar que nem respira. Pois, nos adventos, remói. Embora nem sempre como antigamente. Já que há o risco do abismo na exibição de cada noite. A expressão corporal adquiriu, nela, a força do verbo. E a palavra, dita por ela, vem multifacetada. No cinema sua cabeça é grande, no palco é bem pequenininha, demostração swiftniana (pirandelina) da relatividade nas propostas. Fer-nan-da, cinco sílabas mágicas como as três de fe-li-ci-da-de: e sempre a pomos onde estamos. Tem um riso que sublinha, um olhar que diagrama, ombros de mulata e uma vaga assessoria do divino. Pois crê em Deus, inda que não LHE dê excessiva intimidade; se um dia ELE não aparecer ela veste o manto e faz o SEU papel.

Ev@ disse...

Parte - 2
Nunca saiu do Brasil mas esse é o seu mundo. Tem raras iras, todas, porém, postas à prova. Com dois filhos, outros tantos pais, o dobro de avós e o quádruplo de bisavós, sua ascendência é o infinito. E os filhos crescem, lhe ampliando a vida, em anos e memórias. Magra, branca, fugidia, tem, contudo, a coragem da ossatura e o prolongamento moral que o espírito empresta aos fêmures e aos cúbitos.
São poucos os que, como ela, conseguiram chegar aos 18 anos em menos de quarenta. Em Alagoas, meio século atrás, teria sido outra Maria Bonita. Em Rouen, há quatrocentos anos, teria convencido Joana D'Arc a escapar da fogueira. Veste-se como quem não vai a lugar nenhum e tem toda razão - o acontecimento é ela. Parca de excessos, é perdulária em antonímias. Seu demagogo predileto é muito humilde. Sua cor predileta é a cortesia. Sua única ambição é a ubiquidade. Do Engenho de Dentro ainda carrega um ligeiro sotaque. Se fosse homem queria ser mulher.
Esmiúça os contrastes e aceita ternamente as vacilações dos que nunca abdicaram. Cínica diante da Glória resiste sempre às apoteoses do outrora quinto ato. Mas seu ato de viver não tem paredes: há sempre gente assistindo à sua multiplicidade. Tem certas dúvidas: nenhuma delas certa. É corriqueira todo dia, costumeira quase todos os dias, ocasional nem sempre, e mítica, só para nós que lhe conhecemos a quinta essência. Psicanalista e confessor, sobe no palco, desnuda o inconsciente coletivo e redime uma arte que muitos dizem extinta. E eis o segredo: crê no texto, tem fé na direção, comunga com a platéia e sabe que, no dia do Juízo Final, os críticos serão todos perdoados.

Ev@ disse...

Parte - 3
Seu rosto conserva recordações que a memória esqueceu. Reparem: às vezes seu sorriso chega tarde para uma expressão de alegria. Ou sai antes do fim da euforia, dublagem existencial errada que deixa notarmos os arcanos de sua melancolia. Pois dói, eu sei, aqui assim, lá nela. Dois seios, como em toda mulher. Ânsia de muitos seios, como a Loba de Roma. A sabedoria do passo, a negação positiva, o pouco de culinária que ainda lembra são os seus enigmas para uma personalidade do outro lado.
Sem não ser o que é, pode ser outra coisa, na saudade antibovarista de uma vida total. Explicando melhor: tomou a parte pelo todo, sendo o todo impossível. Explicando inda mais: fez da fatia o bolo e comeu-o inteiro, deixando porém um pequeno pJá interpretou Mirandolina, "madame" Warren e Arlete Pinheiro. Se fez Montenegro, se casou com Torres e, do alto dessas pirâmides, há quarenta peças os dois se contemplam. Desgarrada da geração em que nasceu, flutua acima daquela em que vive, nessa terra-de-ninguém em que é perigoso estar só sem estar mal acompanhado: diz-me quem és e eu te direi com quem não andas. Aplaudida em toda parte não regateia aplausos ao público que a freqüenta. E busca, nos desvãos dessa troca, a verdade da Glória. Que não fica, não eleva, não honra, nem consola. E uma parte da qual pode ser até que esteja na bilheteria. Sabe que uma atriz está sempre na iminência de ser uma mera atriz. Acha imperfeita uma língua que só tem cama e não tem camo, homem poltrão sem mulher poltrona, e síntese anacrônica e não ternuras múltiplas praticadas sob o consenso popular aferido por meio do votodiretouniversal obrigatório. Repetem o que ela diz mas o difícil é repetir os seus silêncios. Pois não sei quantos idiomas fala mas cala, essencialmente, nessa que é, meu Deus, a língua nossa! Conserva o que a nutre, extirpa o que lhe tolhe.

Ev@ disse...

Crê no perigo da ausência, que nunca tem razão, por isso sempre está e sempre fica, ou deixa alguém de muita confiança. E já tem tudo arrumado para o grande dia. Só não vai de comenda porque quem a condenou perdeu o que não tinha. Mas, como recordação da infância, ainda pula amarelinha nas adjacências. Corda, porém, só em casa de enforcado. Sua última opção é estar com a vida quando quase ninguém mais respira. Algumas decisões: a de morrer de pé, como um batavo. A de brincar de Deus, como um bandido. A de apostar no destino, dando ao gato seis vidas de vantagem. E, após o final, poder escutar no silêncio e no escuro, o último espectador que se afasta nas aléias desertas.

É isso ai Sr Sábio, outros cheio de cultura, como o Archie e sua turma, assim é Millôr Fernandes,nem melhor nem pior do que a "turma" desse blog.
Brasileirissimo ... lá no seu blog, não é "site" é "saite".
Hoje ocupei um espaço, que não pretendia mais ocupar.
Mas quando li o "retrato da Fernanda Montenegro", senti que precisava trazer para esse blog.
É isso ai sr Sábio, voltei por causa da Fernanda e voltarei todas as vezes que falarem o q não é educado de uma atriz. Não esqueça de TROPA DE ELITE... o alemão reconheceu, o q vcs criticos de arte não viram.
Bom dia
Comentários, sobre os artigos desse blog "deixo para a turma culta do Archie."

requeri disse...

eu, antes de ler e/ou comentar:
1) leu os meus finalmentes sobre o caso da irmã assassinada???
2) corre lá no reblogg e vê uma coisa que eu fiz na sidebar sob o título ... me and us ... cê vai amááááááááá!!! ... acho ... rsrs ...
bj bj bj bj.rê.

requeri disse...

... outra coisa, mostrou pro ualison???

Archimedes Carpentieri disse...

Ev@

Não sou crítico de arte. O que consegui até hoje foi ser jurado de cabaré do cais do porto.
O Millor é excelente, claro, sou fã dele. Ocorre, cara Ev@ que prefiro errar com a minha cabeça (de cima), do que acertar com as idéias alheias.
Se todas as pessoas raciocinassem uniformemente, que chatice seria o mundo. Nelson Rodrigues resumiu isso alertando que toda uninimidade é burra.
Reconheço a grande atriz Fernanda, mas não engulo atitudes dela tal como me referi naquele artigo que vc faz menção.
É fácil ser uma "grande personalidade" coçando o saco dos poderosos com ares de "grande dama"
Quanto ao talento dela reconheço, tanto é que postei um vídeo de seu filme.
Ah...o Millor escreve que Fer nan da tem 5 sílabas, tal como a palavra fe li ci da de. É um gozador mesmo...rs

Archimedes Carpentieri disse...

Requeri mento

Leio todos oscomentários, inclusive os que me mandam tomar no buraco negro da galáxia Miphudemus.

O miandemus ficou jóia à excessão de um coroa de vermelho vermífugo.

O Ualison não é gente. Está ainda no estágio intermediário entre o primata e o primitivo.

Bjs

requeri disse...

ac, a máquina de lavar tá funcionando direitinho??? pareceu-me que não, já que a vizinha veio devolver aquela baciada que a gente deixou pra ela lavar ... bj bj bj bj. rê.

requeri disse...

o primata e o primitivo se ofenderam, agora. mormente pq eles sabem que é john lennon e não john lennons ... quase fui surpreendida por um ataque de apoplexia pituitária aguda na língua, quando escutei aquilo.
queria que ele visse so por vaidade maldosa ... rsrs ... bj bj bj bj. rê.

Anônimo disse...

Querido Sábio

Muito bem colocado este seu comentário sobre o depoimento da Ministra Dilma ... uma pessoa com a qual se pode usar o adjetivo “forte”.
Forte no passado , onde dentro dos seus ideais , não se esquivou de assumir sua parte num projeto de nação e todas as conseqüências .... Forte no presente , pois soube resolver os pesadelos do passado, soube tocar a vida adiante analisando os erros e mantendo a esperança num país melhor.
Numa entrevista ela responde ao jornalista sobre a prisão/tortura : - “Pergunta - Quanto tempo durava uma sessão dessas?
Dilma - Nos primeiros dias, muito tempo. A gente perde a noção. Você não
sabe quanto tempo, nem que tempo que é. Sabe por quê? Porque pára, e quando
pára não melhora, porque ele fala o seguinte: "Agora você pensa um pouco".
Parava, me retiravam e me jogavam nesse lugar do ladrilho, que era um
banheiro, no primeiro andar do DOI-Codi. Com sangue, com tudo. Te largam.
Depois, você treme muito, você tem muito frio. Você está nu, né? É muito
frio. Aí voltava. Nesse dia foi muito tempo. Teve uma hora que eu estava em
posição fetal.”

E no final da entrevista ela fala:

“Pergunta - E por que se avaliou tão mal? (se referindo à realidade do regime/ditadura na época)
Dilma - De uma certa forma, a gente tinha um modelo na cabeça. De todo
forma, eu acho que a minha geração tem um grande mérito, que é o negócio da
Var-Palmares: "Ousar Lutar, Ousar Vencer". Esse lado de uma certa ousadia. A
gente tinha uma imensa generosidade e acreditávamos que era possível fazer
um Brasil mais igual. Eu tenho orgulho da minha geração, de a gente ter
lutado e de ter participado de todo um sonho de construir um Brasil melhor.
Acho que aprendemos muito. Fizemos muita bobagem, mas não é isso que nos
caracteriza. O que nós caracteriza é ter ousado querer um país melhor. “ ( entrevista http://lists.econ.utah.edu/pipermail/reconquista-popular/2005-June/027912.html )

Agora vem um Senador(?) Agripino ousar a falar de tortura ... ou pior ainda, “ de falar mentira" ... logo ele um homem que entrou na política como Prefeito biônico de Natal, nomeado pela ditadura militar ... e que só permaneceu devido a esta mesma ditadura e o Coronelismo !!! Em 1982, na primeira eleição direta realizada após o movimento militar de 1964, Agripino chegou ao governo do Rio Grande do Norte. Foi o terceiro governador consecutivo da familia. Antes o cargo foi ocupado por seu pai Tarcísio de Vasconcelos Maia e pelo seu primo Lavoisier Maia Sobrinho. Ambos foram nomeados e não eleitos, demonstrando a força que sua família obteve com sua colaboração ao regime de exceção

Agora ..quanto ao dossiê do FHC .. é só chamar o Paulo Henrique Amorin , pois já se colocou à disposição da CPI para falar da adega do então presidente FHC.... kkkk.

Beijo.

Bela ( ah !!! o Plácio de Cristal !!!! sonho com uma viagem interdimensional junto com o Sábio ...rsss)

Anônimo disse...

Vc está sem lavadeira?

Ev@ disse...

Archie, um blog de uma amiga.
d� uma olhada.
http://nuapoesia.blogspot.com/
Amiga aki da Net, sla de bate papo.
Lindas poesias e lindas imagens.
Ev@

requeri disse...

obrigada querido!!! hj vai ter jogo. o time adversário amanheceu de chuteira e calção. sem chance de rendição. bj bj bj bj. rê.

requeri disse...

ontem a espécime vacum deslocou-se pra terreno sáfaro e alagadiço, logo cedo. a lida do dia subtraiu-me a robustez e a veemência, me entreguei. hj fico pro jogo. vai dar até pra colaborar, sem dúvida. bj bj bj bj.

requeri disse...

agora que já tagarelei sobre tudo, menos sobre o seu escrito e, já que acordei cedo pra curtir as benesses desse dia, vamos ao texto.
não mude de assunto ainda. me deixa curtir este comentário por mais um tempinho. promete???
... risadinha ...

sem medo de errar, o senado brasileiro é uma mentira, o covil da estirpe dos histriões brasileiros.
problema de junta. junta tudo e pincha, barranco abaixo.
aquele agripino cara de conteúdo, com seu cabelinho mal tingido, aquela boquinha de chupar caju verde e zoinho de sagüi medroso, nunca me enganou e foi protagonista de uma das mais notáveis pantomimas do ano.
o que esperar de um governante biônico da ditadura, dissimulado, um reacionário truculento, maratonista do poder, de índole oportunista, opositor incompetente, ...??? e, por aí, posso ir até o sol raiar.
os integrantes do governo da criatura devem ajoelhar e elevar as mãos aos céus em oração de agradecimento diário, pela qualidade da oposição que foram arrumar, assim como os da oposição, mormente os da laia desse mequetrefe, devem dar vivas ao fato de, a tv senado, não disponibilizar suas transmições para o país todo ou não ser tão zapeada onde é veiculada, senão, dona dilma já tinha quebrado o côco e arrebentado a sapucaia ...
o patético membro do falido senado brasileiro, perdeu uma grande oportunidade de demonstrar sabedoria ficando calado. o que fez foi levantar a bola pra dilma chutar ... de tão burro que é.
quem viu deve lembrar quando ele recordou a entrevista da ministra reiterando que aqueles momentos, 30/40 anos atrás, foram duros para ela e que, apesar de estar governador, àquela época, acabou rompendo com seu partido, o pds, para apoiar a volta da democracia.
que comovente!!! né, não???
mas, como todo fdp foi feito pra cometer filhadaputice, ele arrematou dizendo que falou aquilo, pq podemos estar voltando ao regime de exceção, policialesco, no qual o estado produz informação privilegiada, como o suposto dossiê sobre os gastos de fhc, para pressionar alguém.
ele, beneficiado pela ditadura, não consegue enxergar a diferença entre o que se faz em nome dela e o que é feito para fortalecer a democracia. viveu a contramão da política nos anos de chumbo e não sabe valorizar um regime popular.

adorei esta frase da dilma, com a qual me divirto interpretando a meu bel-prazer: não se dialoga com pau-de-arara ou choques elétricos.

ninguém tripudia, sob meu olhar, sobre condição dos presos da ditadura. um dos melhores homens que conheço e com quem tenho a honra de conviver foi um deles, por um longo e tenebroso ano.

é isso meu querido. bj bj bj bj. eu.

requeri disse...

uns desocupados resolveram bater aqui pra me levar pra engorda. não sei que tanto esse povo, sem criatividade, roda, roda, roda e cai sempre no mesmo festejo ... comilança.
mas, como não tive chance de opinar, vamos lá.
bj bj bj bj. rê.

requeri disse...

leu lá??? um mistério se abate sobre estas plagas. vai entender ... bj.

requeri disse...

era um coment inspirado em 14 de maio, the best day ... tô fula da vida. bj bj bj bj. rê.

requeri disse...

neil sedaka é tudo de bom. essa é meu hino desde sempre. toca todos os anos, ao invés daquela outra, mais famosa. vc reparou que dessa vez deu pra inverter os números??? taí acho que comecei com isso com o número original ... rsrs ...
ficou legal. bj.

requeri disse...

ac, acredita que bati o record de visitas no blog??? só queria saber por que foi.

requeri disse...

ac, depois vc dá uma olhada leitora, histórica e avaliadora no reblogg, mais expecificamente no post que eu coloquei agora sobre a palmarès de cannes 1968, année de la revolucion. qualquer inconsistência me diz por email que eu cuido dela.
bj bj bj bj. rê.

requeri disse...

eu nem sabia que sabia o que eu pensava que não sabia, sobre maio '68 ... rs ... noooooooossa!!! faz tempo. parece que foi ontem.

ocorreu-me um pensamento: já pensou se, ao invés de meter as caras, correr atrás, escarafunchar, eu ficasse atenta e lamenta a choramingar sobre o que não domino???
era a fossa. eu nem mereceria vc. bj bj bj bj. rê.

obs.: hj, já sei, vai ter sessão: cadê meu coment??? organiza, meu, organiza!!!

Vanda disse...

Cuidado professor com os tipos de vídeos que o senhor coloca aqui heim....Deus pode castiga-lo e acabar ficando igualzinho a gostosona ai do lado...não se esqueça que na sua idade os hormônios tbém reagem contra a natureza humana kkkk isto porque já sei que engordou 3 kg kkkkk
Abraços
Vanda

Anônimo disse...

Nossinhora...nunca li tantasneira junta, tudmisturado requeri fala muito e diz muitpouco Ev@ meteu Fernanda no lugar de Dilma qconfusão sô bejim proces da Lizinha